São 4:58 da manhã e eu estou aqui sem sono e com 1003 pensamentos pela cabeça. Me pergunto se isso são horas de estar acordado pensando e repensando sobre a minha vida, acredito que não. A única coisa que me resta fazer é aceitar esse turbilhão de pensamentos e os deixar desenvolverem em suas ordens loucas totalmente fora de ordem. Uma pergunta fica pairando sobre a minha cabeça: Eu realmente sou feliz? Não é que eu me sinta infeliz, muito pelo contrario, tenho os meus momentos de felicidade estonteante, mas em geral a tão sonhada felicidade me parece tão longe, eu até consigo enxergar só que de uma maneira tão turva, é como avistar alguém vindo em sua direção em uma estrada com neblina.

 

Eu sinto a felicidade ao ouvir uma boa musica, sabe quando você esta dirigindo o teu pen drive tocando uma infinidade de musicas novas e de repente você escuta uma e pensa: “Poxa essa realmente é uma musica boa, eu poderia ouvir isso pelo resto da minha vida.” Nesse momento sozinho e dirigindo eu sou e estou feliz, fico sorrindo sozinho e desejando que o momento não termine. Ao mesmo tempo em que eu procuro a felicidade eu estou me agarrando a essa falta dela, não consigo explicar, mas me sinto confortável da maneira que me encontro, de certa forma eu gosto dessa “tristeza” minha, sinto que sou especial por ser assim. E claro que eu me sinto sozinho em grande parte do tempo, sempre que falo sobre a felicidade eu acabo tocando no assunto de estar sozinho (risos), como se o fato de estar alguém vai me deixar feliz (muitos risos). Sei que as coisas não são assim. Tenho consciência de que o fato de estar com alguém não vai mudar totalmente a forma como eu me vejo e me sinto, claro que irá me fazer feliz, mas ainda assim não vou estar 100% comigo mesmo. Mas alguém realmente está?

as-montagens-psicodelicas-de-nicolas-malinowsky

Queria ter algum super poder pra tornar as coisas mais fáceis e mais claras na minha cabeça. Tem vezes que eu acho que eu penso mais nas coisas do que a maioria das pessoas e isso faz com que eu me sinta superior a elas de certa forma. Sinto que eu tenho uma capacidade maior de analisar certos fatos e FANTASIAR mais sobre outros assuntos, mas sinto também que isso é a minha graça e desgraça, pois estou sempre esperando que as coisas aconteçam como eu as imagino e não acontecem. Eu continuo sem o poder de mudar as coisas, continuo tendo que engolir o que a vida e as circunstancias me impõem. Acho que uma hora eu me acostumo.

Anúncios